Notícias
HOME »

Hildo Rocha e ministro das Cidades debatem orçamento para 2018

04 de outubro

Responsável pela relatoria setorial do Desenvolvimento Urbano, o deputado federal Hildo Rocha participou de audiência com o ministro das Cidades, Bruno Araújo, com a finalidade de analisar o orçamento do setor para o próximo ano e também discutir questões que afetam municípios maranhenses. “O Maranhão é um dos Estados onde existe a maior quantidade de projetos travados por conta de ocupações de conjuntos habitacionais do Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV). Solicitei rapidez na solução desses impasses porque isso tem dificultado a liberação de recursos para a construção de novas unidades habitacionais. Em todo o país, muitos municípios enfrentam essa triste realidade”, declarou Rocha.

Além do setor habitacional, a relatoria do Desenvolvimento Urbano, que está sob a responsabilidade do deputado Hildo Rocha abrange as áreas de: saneamento ambiental que engloba diversas modalidades de abastecimento de água; esgotamento sanitário; drenagens fluviais e infra urbana que (pavimentação, construção de pontes e viadutos).

Rocha informou que discutiu acerca do Programa Cheque Moradia; habitações rurais (PNHR) e obras do PAC. “Dezenas de municípios do Maranhão estão com projetos paralisados, principalmente no âmbito do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Ainda no decorrer da reunião conseguimos encontrar solução para os entraves burocráticos que impediam o prosseguimento de obras que serão reiniciadas em poucos dias”, destacou Hildo Rocha.

IFMA de Ribamar é mais um legado do governo Roseana

03 de outubro

Foi inaugurado, nesta segunda-feira (02) o Campus do Instituto Federal de São José de Ribamar. O deputado federal Hildo Rocha (PMDB) participou do evento ao lado do ministro da Educação Mendonça Filho. Além de Hildo Rocha também participaram da solenidade os deputados federais Waldir Maranhão, Julião Amim, José Reinaldo e Juscelino Filho. Também estavam presentes o governador Flávio Dino; o prefeito Luís Fernando; secretários municipais, vereadores e diversas autoridades do Estado.

Legado de Roseana Sarney

Obra teve início por iniciativa da ex-governadora Roseana Sarney

O parlamentar fez breve histórico acerca do empreendimento e destacou o papel desempenhado por cada personalidade envolvida no projeto. Rocha lembrou que a iniciativa começou a se materializar em 2011, por iniciativa da então governadora Roseana Sarney. “Para viabilizar a instalação do IFMA em São José de Ribamar primeiro foi preciso superar uma dificuldade imposta pelo governo federal porque as autoridades levaram em consideração que no raio de 50 km já existia uma unidade em funcionamento, instalada no Monte Castelo, em São Luís. Mas, a governadora, determinada como sempre, não desistiu. Depois de insistentes conversas com o então ministro da educação, Fernando e, por fim, com a ex-presidente Dilma Rousseff, a questão foi resolvida”, declarou Rocha.

Apoio do governo Temer

O deputado frisou ainda que a conclusão do empreendimento só foi possível porque o presidente Michel Temer honrou os pagamentos. “Devo lembrar que o presidente Michel Temer também teve papel decisivo nessa conquista. Além de ter efetuado os pagamentos também ajudou em outras questões de ordem administrativa de competência do poder executivo federal”, frisou Hildo Rocha.

Sonho de muitas pessoas

O parlamentar disse que a implantação do IFMA, em São José de Ribamar, é a concretização de uma aspiração sonhada por muitas pessoas. “Luís Fernando, que atualmente exerce o terceiro mandato de prefeito de São José de Ribamar, também teve papel fundamental na concretização do projeto. O ex-prefeito Gil também contribuiu com a doação do terreno onde está edificado o campus. O então reitor do IFMA, professor José Costa foi incansável, ajudou em tudo que estava ao seu alcance. O atual reitor, Roberto Brandão também contribuiu bastante. Enfim, dezenas de pessoas contribuíram para a materialização desse sonho. Isso confirma o adágio popular que diz: um sonho sonhado sozinho é apenas um sonho, mas um sonho sonhado por muitos se transforma em realidade”, declarou o parlamentar.

Desenvolvimento

De acordo com o deputado, além de contribuir para a qualificação de milhares de jovens, agora, funcionando em instalações maiores, melhores e adequadas, o IFMA servirá como indutor do desenvolvimento regional. “O IFMA é uma instituição de reconhecida capacidade que anualmente lança no mercado milhares de jovens qualificados para atuarem no mercado de trabalho. A maior parte já sai com empregos garantidos. Isso exerce forte influência em toda a cadeia produtiva e de prestação de serviços contribuindo assim para alavancar o desenvolvimento regional”, enfatizou.

Repercussão na Câmara

À noite, Rocha repercutiu a inauguração do IFMA de São José de Ribamar em pronunciamento na tribuna da Câmara. “Lamentavelmente, o nome da ex-governadora não consta na placa de inauguração. Mas, como disse Fernando Pessoa, tudo vale a pena quando a alma não é pequena. Roseana sabia que seu esforço resultaria na concretização desse importante projeto que vem dando oportunidades para milhares de pessoas”, destacou Hildo Rocha.

https://youtu.be/ytoLvw6CUQc

Reforma tributária terá impacto positivo na geração de empregos, afirma Hildo Rocha

02 de outubro

Minuta da proposta foi lida pelo relator Luiz Carlos Hauly (PSDB/PR)

O presidente da Comissão especial da Reforma Tributária, deputado federal Hildo Rocha, voltou a criticar o sistema de arrecadação que está em vigor e defendeu a aprovação das propostas apresentadas pelo colegiado. De acordo com o parlamentar, a elevada carga tributária faz com que o sistema tributário brasileiro seja um dos mais injustos do mundo. “Nós queremos simplifica-lo. Estamos prevendo apenas dois tributos sobre o consumo: o Imposto Sobre Valor Agregado (IVA) e um imposto seletivo de competência da União”, explicou Rocha.

De acordo com o parlamentar, com essa modificação surgirá um sistema mais moderno que vai estimular a geração de empregos. “Boa parte do desemprego é por causa do sistema tributário que temos porque os produtos produzidos no Brasil não conseguem competir no mercado internacional”, argumentou o deputado.

Agronegócio

Rocha ressaltou que o setor primário pode ser apontado como exceção. “Nós temos grande competitividade na área do agronegócio porque o sistema tributário pouco atinge o sistema primário do país, principalmente no agronegócio, mas quando se fala em industrialização e serviços a competitividade brasileira torna-se inviável por causa do excesso de impostos. Isso não permite que sejam criados empregos”, argumentou.

“Queremos fazer com que o nosso sistema tributário seja justo, progressivo e que possa ajudar na modernização e desenvolvimento do país”, enfatizou Hildo Rocha.

Principais teses contidas na proposta

Extinção de tributos

A minuta delineia as mudanças, que incluem a extinção de 10 tributos (IPI, IOF, CSLL, PIS/Pasep, Cofins, Salário-Educação, Cide-Combustíveis, todos federais, ICMS estadual e o Imposto sobre Serviços (ISS municipal). No lugar deles seria criado um imposto sobre o valor agregado de competência estadual, chamado de Imposto sobre Operações com Bens e Serviços (IBS), e um imposto sobre bens e serviços específicos (Imposto Seletivo), de competência federal.

O IBS seria criado nos moldes do que existe em países industrializados, e sem tributar medicamentos e alimentos. Como será de competência estadual, mas com uma única legislação federal, o deputado propõe que a arrecadação seja administrada por uma associação de fiscos estaduais.

 Imposto seletivo

O Imposto Seletivo incidirá sobre produtos específicos, como petróleo e derivados; combustíveis e lubrificantes; cigarros; energia elétrica e serviços de telecomunicações. A definição dos produtos e serviços que serão estarão incluídos no Imposto Seletivo será feira por meio de lei complementar. Sobre os demais produtos, incidirá o IBS estadual. O Imposto de Renda (IR) é mantido na minuta na esfera federal, bem como o ITR. O IR vai incorporar a CSLL, e por isso terá suas alíquotas ampliadas.

Além da fusão ou extinção de tributos, a minuta altera as competências tributárias da União, estados, Distrito Federal e municípios. Para evitar perdas de arrecadação para alguns entes federados, a comissão propõe a criação de dois fundos, que vão compensar eventuais disparidades da receita per capita entre estados e entre municípios.

O tema vem sendo debatido desde fevereiro. A comissão pretende aprovar a PEC da Reforma Tributária nos próximos meses. Hildo Rocha anunciou a disponibilização de um e-meio para que a sociedade possa contribuir com o debate. As sugestões podem ser encaminhadas para [email protected]. O prazo final para o recebimento de sugestões é de 15 dias.

 

https://youtu.be/yr4357sfwPU

Crimes cibernéticos: projeto que fixa punição por disseminação de informações falsas está próximo de ser aprovado

29 de setembro

Em tramitação na Câmara Federal desde o início de 2015, o Projeto de Lei nº 215 que trata sobre o uso de informações falsas poderá entrar na pauta de votações em breve. O autor da proposta, deputado Hildo Rocha, ressaltou que a apuração de crimes de calúnia e difamação, praticados por meio de redes sociais, é algo difícil de ser apurado pelos órgãos competentes. De acordo com o parlamentar, a cada dia crescem as ocorrências de crime que tem atormentado não só personalidades públicas, mas também organizações empresarias e outras instituições. “Recentemente, uma rede grande rede de supermercados do Maranhão foi duramente atacada por notícias falsas, por Fake News, ” destacou Rocha.

De acordo com as informações inverídicas, a empresa estaria sendo obrigada a fechar lojas por causa de supostas falcatruas que teria cometido junto ao Fisco federal. “Isso causou apreensão em fornecedores e principalmente em milhares de trabalhadores e trabalhadoras que temiam perder os seus empregos”, enfatizou Rocha.

O parlamentar explicou que o projeto de sua autoria estabelece regras e punições severas para quem pratica esse tipo de crime. “As pessoas têm direito de se expressar livremente. O que não podemos aceitar é que criminosos se esconderem em perfis falsos para atacar a honra, denegrir, difamar e caluniar as pessoas. Quem faz isso deve responder pelos seus atos. Então, peço o apoio dos colegas deputados e deputadas para que me ajudem a aprovar o PL 215 para que, finalmente, tenhamos regras claras acerca desse tipo de abuso que diariamente é cometido por pessoas inescrupulosas e maliciosas que se utilizam das redes sociais para achacar, intimidar, extorquir e dilacerar a honra das pessoas e a reputação de empresas e instituições”, asseverou Hildo Rocha.

https://youtu.be/du_mR0sZFUo

Hildo Rocha articula ações do INCRA em benefício de assentamentos no interior do estado

28 de setembro

Amarante; Barreirinhas; Buriticupu; Itapecuru e Vargem Grande estão entre os municípios maranhenses onde o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) vem intensificando as ações com o objetivo de concretizar os processos de regularização fundiária e entrega de títulos individuais para assentados. Para discutir sobre o andamento dos trabalhos e buscar soluções para eventuais entraves e solicitar celeridade no atendimento das demandas, o deputado federal Hildo Rocha se reuniu com a direção do órgão, na semana passada, em Brasília.

Barreirinhas
Rocha destacou que em breve as famílias que moram no PA Cocal Palmira, em Barreirinhas, irão receber os títulos de posse das terras onde moram. “O presidente do Incra assegurou que no prazo máximo de 30 dias os assentados irão receber os títulos de propriedade”, destacou o deputado.

O parlamentar enfatizou que a longa espera finalmente chegará ao fim graças ao empenho da diretoria e dos servidores do Incra e também ao persistente trabalho do Dr. Branco, liderança que há anos se dedica às causas das comunidades rurais de Barreirinhas. “Há muito tempo Dr. Branco vem cobrando soluções para os assentamentos do município. Estivemos no Incra, em diversas oportunidades, acompanhando o desenrolar dos processos e agora recebemos essa boa notícia. Finalmente os moradores do Cocal Palmira serão beneficiados com recursos do Incra”, destacou Hildo Rocha.

Amarante do Maranhão
O deputado Reunião destacou ainda que durante o encontro com a diretoria do Incra falou sobre reunião que aconteceu na residência do ex-prefeito de Amarante, Raimundinho Carlota, onde também foram discutidas ações para dar celeridade à entrega de títulos para assentados do município. “Foi uma reunião bastante produtiva que contou com a presença do deputado estadual Léo Cunha, dos vereadores Azevedo e Benta e outras lideranças da cidade. Na ocasião, os participantes dessa reunião pediram que eu intercedesse junto ao Incra com a finalidade de conseguir a titularização de todos os Projetos de Assentamento existentes no município. Imediatamente o superintendente do órgão determinou que sejam tomadas as providencias para que o município de Amarante também seja beneficiado por meio de ações de regularização que o Instituto vem realizando”, informou o deputado.

Emenda individual
Rocha disse que destinou emenda individual para a realização de obras de infraestrutura em diversas comunidades rurais de Cantanhede e também reivindicou agilidade nas ações destinadas aos municípios de Vargem Grande, Itapecuru-Mirim, Buriticupu e outras localidades que também pediram o apoio do parlamentar junto ao Incra.

https://youtu.be/RMsBuxQfRlU

Estudo do CLP confirma fracasso do governo Dino

27 de setembro

Desempenho vergonhoso: Maranhão despencou para o penúltimo lugar no Ranking de Competitividade do Estados

De acordo com pesquisa realizada pelo Centro de Liderança Pública (CLP), que avaliou o Ranking de Competitividade dos Estados, o Maranhão está entre as unidades da federação com o pior desempenho: caiu da vigésima para a 25ª posição.  “Isso mostra o fracasso do governo Flávio Dino”, destacou o deputado Hildo Rocha, em pronunciamento na tribuna da Câmara.

 

O levantamento baseia-se em 65 indicadores separados em 10 pilares que servem para balizar o desempenho dos gestores públicos de cada estado. Hildo Rocha enfatizou que, em ralação aos anos anteriores, o Maranhão piorou na segurança pública; na educação; na solidez fiscal e na eficiência da máquina pública estadual.

 

De acordo com o parlamentar, o fracasso, especialmente no que se refere à máquina pública estadual já era esperado porque o governador aparelhou os serviços públicos por meio de nomeação de “camaradas” para cargos-chave na administração estadual. “Dino aumentou a quantidade de cargos comissionados do maranhão que foram preenchidos por apadrinhados sem o devido preparo para o exercício das atividades. Dessa forma, o resultado só poderia ser a ineficácia da máquina administrativa estadual”, declarou.

Situação vergonhosa

O deputado lamentou o retrocesso constatado por meio do estudo. “É triste ver que o governador está afundando o Maranhão. Quando informações dessa natureza são divulgadas os investidores ficam apreensivos, deixam de investir. Isso, logicamente, afeta a economia, enfraquece o mercado e provoca desemprego porque ninguém quer aplicar recursos onde não há solidez fiscal e regras confiáveis”, frisou Hildo Rocha.

Mais impostos

O parlamentar ressaltou que a política econômica de Flávio Dino está sufocando empresas de todos os tamanhos. “Hoje praticamente todos as empresas, grandes, médias e pequenas, não aguentam mais pagar imposto porque o governador aumentou as taxas de forma afrontosa”, disse Hildo Rocha.

Mudança de gogó

O deputado lembrou que durante a campanha eleitoral, Dino dizia que iria transformar o Maranhão num dos melhores estados da federação. “Prometeu que iria melhorar em todos os setores, mas, a pesquisa diz justamente o contrário: o Maranhão está muito pior no social;  na saúde pública e na educação. Isso mostra o fracasso total do governo Flávio Dino”, asseverou Hildo Rocha.

https://youtu.be/wnpi-2E7apE

Hildo Rocha entrega casas populares em Cantanhede e participa de eventos em Ribamar e São Domingos

26 de setembro

No último fim de semana, o deputado federal Hildo Rocha participou da entrega de 32 casas nos povoados Pataqueira, São Domingos e Pitomba, no município de Cantanhede. Os imóveis foram financiados pelo governo federal por meio do Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR), no âmbito do programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV).

Rocha destacou que as casas possuem dois quartos; piso revestido de cerâmica; banheiro e são forradas. “Agora, famílias que moravam em casas inadequadas e inseguras passam a morar em imóveis de alvenaria com mais conforto, adquiridas por meio do PNRH. Graças a esse programa e ao apoio da prefeitura de Cantanhede, que tem à frente o prefeito Ruivo, hoje temos a felicidade de entregar essas casas para moradores da zona rural de Cantanhede”, declarou o deputado.

Apoio fundamental

O prefeito Marco Antônio (Ruivo) lembrou que o apoio do deputado Hildo Rocha foi fundamental para a concretização do projeto. “Eu quero agradecer e parabenizar o esforço do deputado Hildo Rocha por ter nos ajudado a realizar esse sonho. É bom contar com pessoas que conhecem a realidade pois isso faz com que as ações realmente cheguem às pessoas que tem necessidade”, frisou o prefeito.

Além do deputado Hildo Rocha e do prefeito Ruivo também participaram do evento o vice, Dr. Elvy; o chefe de Gabinete, Bruno Bezerra; a primeira dama, Leidiane Chaves; a secretária de desenvolvimento Social, Paula Souto; o adjunto, José Castro; a secretária da Mulher, Betânia Soares; o secretário adjunto de Saúde, Alex Baima; o secretário de Esportes, Cezar Cantanhede; o secretário de Meio Ambiente, José Raimundo Lima; o presidente da câmara, Dênis Roberth e os vereadores Alan Bajara e Manoel Veras.

Escola de Música

Em São José de Ribamar, Hildo Rocha destacou a importância da Escola de Música reinaugurada pelo prefeito Luis Fernando

Ainda como parte das atividades realizadas no final de semana, Hildo Rocha participou da reinauguração da Escola de Música Municipal Maestro Nonato, em São José de Ribamar. A instituição foi criada em 2008 pelo prefeito Luís Fernando e agora reformada pelo gestor que administra a cidade pela terceira vez. “Luís Fernando é um homem público que valoriza a cultura do seu município. Logo, é compreensível que em menos de um ano de mandato tenha revitalizado a escola de música do município onde aproximadamente 300 alunos terão a oportunidade de aprender música, tocar e aprimorar os seus talentos”, destacou Hildo Rocha.

 São Domingos do Maranhão

Hildo Rocha com prefeito Zé da Folha e vereadores de São Domingos do Maranhão, durante evento alusivo aos 65 anos de emancipação política e administrativa do município

O deputado esteve ainda em São Domingos do Maranhão onde participou de eventos alusivos ao aniversário de 65 anos de emancipação política e administrativa do município. Ao lado do prefeito, Zé da Folha; do vice Clodomizinho; do deputado estadual Antônio Pereira; dos vereadores Astolfo; Irislane e Brás; de secretários municipais e lideranças, o deputado assistiu ao show de calouros promovido pela prefeitura como parte da programação cultural em homenagem à cidade. Ao final, do evento, Rocha participou da entrega de prêmios aos vencedores da competição.

 

 

MP é prova da falta de plano de governo e desprezo de Dino pelos indígenas

25 de setembro

Em pronunciamento na tribuna da Câmara Federal o deputado Hildo Rocha disse que a Medida Provisória editada por Flávio Dino, criando Programa de Transporte Escolar Indígena, depois de quase três anos de governo é a prova de que o governador não tinha plano de governo. De acordo com Hildo Rocha, ao transferir para os prefeitos a responsabilidade pelo transporte dos estudantes indígenas Dino deixa bastante claro o desprezo pelos indígenas e a falta de compromisso com as minorias.

“Se somente agora, faltando apenas 15 meses para o término do mandato, Dino criou o programa é porque não havia nenhum planejamento para governar o Maranhão. Também fica evidente que os mesmos prefeitos que o Flávio Dino não confia para fazer nem mesmo cinquenta metros de asfalto ele quer que os mesmos façam o transporte escolar indígena. Ou seja, o governo do estado não dá recursos para prefeito implantar asfalto mas vai dar dinheiro para fazer o transporte escolar indígena. Essa atitude mostra que para Flávio Dino asfalto é mais importante do que os índios’’, destacou o parlamentar.

 

Mobilização das lideranças indígenas

O deputado assegurou que o governador não dá a menor importância para as comunidades indígenas do estado. De acordo com o parlamentar, Dino só criou o programa porque as lideranças indígenas do Maranhão estiveram em Brasília por diversas ocasiões. “Participei, juntamente com as lideranças indígenas, de reuniões com representantes do governo federal, inclusive com o Ministro da Educação, Mendonça Filho. Somente depois que o problema chegou ao conhecimento das autoridades e também do Ministério Público Federal o governador resolveu lançar a medida provisória. Durante o governo Dino não existe calendário escolar; aulas regulares; alimentação escolar; transporte; material didático; fardamento e respeito aos estudantes indígenas”, destacou Hildo Rocha.

 

 

 

Hildo Rocha critica votação que adiou para 2020 o fim das coligações

22 de setembro

Membro da comissão mista da reforma política, o deputado federal Hildo Rocha (PMDB/MA) fez duras críticas aos colegas de parlamento que votaram pelo adiamento do fim das coligações. De acordo com o deputado, a forma como a votação foi conduzida impediu a participação da população nos debates. “Lamentavelmente, na calada da noite mudam uma decisão que já havia sido amplamente debatida e aprovada na comissão especial da PEC 282”, argumentou o parlamentar.

Reforma achincalhada

De acordo com Hildo Rocha, o congresso não está realizando reforma política e sim uma farsa pois não reflete a vontade da população. O parlamentar disse que a sessão que sacramentou adiamento do fim das coligações para 2020 é o resultado de um acordo feito ao arrepio da vontade popular. “O correto seria cumprir o prazo de cinco sessões, conforme estabelece o regimento da Câmara, para permitir que a população pudesse opinar, por meio dos seus representantes”, declarou o parlamentar.

Como forma de reparar o que considera um equívoco, Rocha propôs o cancelamento da sessão. “Acho que a votação do segundo turno deveria ter sido agendada para a próxima semana, pois o que aconteceu hoje é um desrespeito porque se atropelou o regimento. A população quer o fim das coligações já a partir das eleições de 2018”, enfatizou.

Segundo o deputado, a manobra não passa de um disfarce. “Alguns colegas de parlamento apenas fingem que querem o fim das coligações. Muitos imaginam que sem as coligações não conseguirão se reeleger. Assim, decidiram adiar para 2020. Os vereadores mais uma vez serão cobaias. Essa situação sinaliza que, certamente logo depois das eleições dos vereadores em 2020, haverá um retorno ao status quo”, afiançou Hildo Rocha.

Responsabilidade

O parlamentar lembrou que por se tratar de uma proposta de mudança da constituição os colegas congressistas devem ser cautelosos e criteriosos. “Estamos debatendo uma PEC, não é uma lei ordinária que pode ser mudada a qualquer momento. O interstício de cinco sessões entre a votação do primeiro para o segundo turno está no regimento da câmara para dar um tempo de reflexão ao parlamentar e também para permitir se ouça a opinião do seu eleitor sobre o projeto de mudança na constituição federal. Então, a responsabilidade é muito grande. Nós temos que ouvir a voz das ruas, temos que saber o que a população pensa sobre o que estamos votando”, disse Hildo Rocha.

Subfederações partidárias

O deputado se posicionou contra a criação da subfederação e solicitou a votação em destaque do item. O parlamentar deixou claro o apoio à ideia da federação, mas contra a subfederação. “O senado não aprovou essa tese. Isso é uma invenção de alguns dirigentes partidários que tem interesse em formar as tais chapinhas que é um artifício nocivo, prejudicial para a nossa democracia”, argumentou.

O texto prevê que os partidos poderão compor uma federação para atuar durante toda a legislatura. Nessa hipótese, para efeito da distribuição do Fundo Partidário e do tempo de rádio e TV o desempenho dos partidos será avaliado em conjunto.

https://youtu.be/cEs1krYnDx8

Hildo Rocha destaca importância da UEMA e lembra ações em benefício da instituição

21 de setembro

Em pronunciamento durante Sessão Solene alusiva aos 35 anos de fundação da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), o deputado federal Hildo Rocha disse que a mais antiga instituição de ensino superior do Maranhão merece ser reconhecida e homenageada porque ao longo dos anos vem desenvolvendo um trabalho de qualidade no ensino, pesquisa e extensão. “O trabalho da UEMA certamente deve servir de exemplo para as demais instituições de ensino superior do Brasil”, destacou o parlamentar.

De acordo com Hildo Rocha, a admirável trajetória da UEMA, se reflete em números. “Em 2016 a instituição contava com quase 15 mil alunos matriculados em seus 121 cursos de graduação, ensino técnico, especialização,   mestrado e doutorado”, disse o deputado.

O parlamentar destacou ainda que a instituição está presente em praticamente todo o território maranhense. “Atualmente a instituição tem um Campus em São Luís e vinte centros de estudos superiores instalados em outras cidades. Além disso, a UEMA atua em 36 polos de educação de educação a distância e outras 20 localidades por meio do programa Darci Ribeiro”, declarou Hildo Rocha.

Ações em defesa da UEMA

O deputado lembrou que na condição de deputado federal lutou e conseguiu recursos para a construção de um ginásio poliesportivo no campus Paulo VI, em São Luís. “Os recursos estão garantidos, já foi feito o empenho. Agora, a universidade está fazendo o projeto para que em seguida a Caixa Econômica Federal possa aprovar e consequentemente iniciar a obra”, enfatizou o parlamentar.

Reforma e adequação do prédio de Itapecuru-Mirim

Hildo Rocha ressaltou que também conseguiu R$ 2 milhões que serão aplicados em obras de reforma e adequação do prédio que abriga a instituição no município de Itapecuru-Mirim. “É um polo importante que necessita de melhorias para que os alunos tenham o devido conforto e os professores melhor qualidade no seu ambiente de trabalho”, alegou.

Plano Diretor da Bacia do Itapecuru

O deputado destacou ainda que ajudou na articulação que possibilitou a aprovação emenda de bancada proposta pelo senador Roberto Rocha (PSDB/MA. “Por meio dessa ação, conseguimos R$ 5 milhões oriundos do orçamento geral da União, para financiar a elaboração do Plano Diretor do Rio Itapecuru. O estudo será realizado por técnicos da UEMA”, enfatizou Hildo Rocha.

 

Página 20 de 109« Primeira...10...1819202122...304050...Última »
CONECTE-SE
CADASTRE-SE

Cadastre-se e receba novidades do Hildo Rocha!

CONTATO

captcha