Multimídia
HOME »
22 de dezembro

“Programa Mais Impostos” repercute na Câmara Federal

 

O aumento das alíquotas do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre energia elétrica, combustíveis e outros itens, instituído pelo governador Flávio Dino, motivou uma saraivada de críticas de todos os setores da sociedade. Até mesmo aliados políticos do comunista chegaram a criticar o chefe. De tão antipática, a iniciativa logo ganhou um apelido: “Programa Mais Impostos”.

Esta semana, a desastrada ação do governador maranhense ganhou destaque no plenário da Câmara Federal em Brasília. Em pronunciamento na tribuna, o deputado Hildo Rocha (PMDB) afirmou que a medida irá contribuir para o aumento generalizado de produtos e serviços.

“Os custos de energia, combustíveis e outros produtos, irão aumentar para todos, mas as pessoas de menor renda, os mais pobres, serão os mais atingidos porque os tributos cobrados sobre o consumo é o mais perverso. A carga tributária sobre a renda e o patrimônio e muito pequena, logo, quem é rico irá pagar proporcionalmente menos. Ou seja, Flávio Dino resolveu sacrificar os mais pobres. Os que têm menos condições serão, portanto os mais afetados”, argumentou Rocha.

Estelionato eleitoral

 

O parlamentar lembrou que durante a campanha eleitoral, em 2014, o governador Flávio Dino prometeu que iria instituir ações capazes de aumentar a arrecadação sem aumento de impostos. “Infelizmente o governador fez exatamente o contrário, impôs medidas que prejudicam famílias humildes”, destacou Hildo Rocha.

Governo fracassado

De acordo com o deputado, a população não aguenta mais tantos desmandos praticados pelo governador comunista. “O povo não aguenta mais o governo Flávio Dino porque além de não oferecer serviços de qualidade nas áreas da segurança, da saúde e da educação ainda sobrecarrega o povo mais pobre aumentando tributos”, declarou Rocha.

Carga tributária elevada

O parlamentar ressaltou que a decisão do governador contraria a lógica do senso comum. “Há um consenso de que em épocas de crise, como a que estamos vivendo, não cabe aumento de tributos. Mas não é isso que ocorre no Maranhão. O governador Flávio Dino conseguiu aumentar o ICMS de produtos que irão impactar diretamente as pessoas que mais precisam do apoio do poder público”, lamentou Hildo Rocha.

 

Categorias
CONECTE-SE
CADASTRE-SE

Cadastre-se e receba novidades do Hildo Rocha!

CONTATO

captcha